Close
personagem 3d viking

Entrevista com o Artista Thales Simonato

A  CreativeSkull falou sobre carreira, workflow, planos pro futuro e muito mais, hoje trouxemos pra trocar uma ideia bacanuda com a gente Thales Simonato, ele que já tem anos de atuação no mercado e contribuições em projetos aqui no Brasil e no exterior irá nos contar um pouco sobre seu processo e o que lhe inspira. Espero que gostem! 🙂

1 – CreativeSkull:  Olá Thales, queríamos saber um pouco do seu início, como entrou nessa área, sempre quis trabalhar com 3D?

R: Comecei a estudar Computação Gráfica na época que morava em Salvador, BA (2009). Nesse periodo eu estudava tudo relacionado a CG: Video, Web, Gráfico. No ultimo ano do curso, 2010, eu comecei a ter aulas de 3d. Porém, a escola na qual eu estudava, era um pouco limitada na época, e então decidi me mudar para São Paulo, para estudar na Melies. E lá fiz o Voyage.

Minha experiência com 3d foi acontecendo. De fato, não me lembro quando eu falei: quero trabalhar com isso. Fui gostando e estudando e quando vi estava inserido no mercado.

 

2- CreativeSkull: Você preza mais por um estilo ou característica quando vai começar um projeto?

R:  Eu gosto muito de Cartoon, e meu foco é trabalhar em uma empresa de longas animados. Então sempre prezo por tentar manter o mesmo estilo (ou parecido) das empresas. É sempre tento aprender algo quando faço um projeto. Nos últimos anos tenho focado bastante em estudo de cabelo, pêlos e penas.

3- CreativeSkull: Conte-nos como foi a entrada no mercado Brasileiro, e se você sentiu alguma dificuldade no início pra entrar nas produtoras.

R:  Meu primeiro emprego foi como Texturizador em uma empresa que faz séries animadas em 2d. Porém, os cenários eram em 3d. Consegui o trabalho por indicação de um amigo, que morava comigo. O trabalho não era muito complexo, porém aprendi MUITO lá, a equipe de 3d era maravilhosa e ajudava bastante.

Depois de 8 meses nessa empresa fui para uma empresa maior chamada Tribbo Post, que tinha um nome relevante no mercado. Para essa empresa, eu fiquei muito nervoso no primeiro dia, mas logo percebi que o pessoal era sempre atencioso e paciente para ajudar e ensinar.

 

Confira o DemoReel de 2016:

 

4- CreativeSkull: Quais são os artistas que te inspiram, de onde você tira inspiração pras suas peças?

R: Hoje em dia tenho seguido de perto o (Shane Olson) , pois ele tem bastante videos no Canal da Pixologic. Super recomendo. Mas tem muitos outros artistas que sigo também, vou colocar uma lista aqui:

Javier Burgos – https://www.artstation.com/javas

Itay Schkesinger – https://www.artstation.com/itayschlesinger

Meg Higginbotham – https://www.artstation.com/meghigg

Kaleb Rice –  https://www.artstation.com/kalebrice

Pedro Conti – https://www.artstation.com/pedroconti

Dylan Ekren – https://www.artstation.com/dekren

….

 

5- CreativeSkull: Vemos que você tem uma referência cartoon muito forte nos seus trabalhos, você acha que o estudo de anatomia e dos conceitos tradicionais são importantes para chegar em resultados melhores?

R: Acredito que é possível chegar num resultado interessante sem esses conhecimentos. Porém, é extramamente importante estudar anatomia, desenho/escultura.

Hoje sinto muita falta de anatomia nos meus projetos. Então pretendo voltar a estudar anatomia, conceito de design de personagem, e desenho.

 

6- CreativeSkull: Qual dos seus trabalhos que você gosta mais? Diga-nos também a peça de outro artista que você goste e os motivos.

R:  É uma pergunta dificil, mas cada projeto tem algo especial que eu gosto. Mas acredito que o que mais gosto é o Viking Kid, o motivo principal é porque foi um trabalho em grupo. Cada pessoa teve uma importante posição no projeto e isso fez com que ficasse com uma qualidade bem legal.

Eu gosto muito dos modelos do Dylan Ekren, a maneira como ele adapta do 2d para o 3d é simplesmente incrivel.

Concept art: Pedro Junior
Rigging | Luis Fernando
Animation | Nico Taro
Modeling, Look dev, Hair, Render | Thales Simonato 

modelagem 3d viking

7- CreativeSkull: Como você  escolheu  seus softwares principais? Hoje no mercado existe tanta ferramenta que fica confuso saber quais escolher  pra começar  a estudar.

R: O software principal Maya. Escolhi ele porque foi o software que aprendi na primeira escola que estudei. Mas também trabalho com o XSI e 3ds Max. Os sofwares secundários sao zBrush, Mari, Yeti, xGen.

Acredito que o foco tem que ser na parte artística, escolha o software que você se sente mais confortável. Porém, acredito que tenha que ser uma escolha estratégica também, veja o que se usa mais no mercado e aprenda-os também. Uma vez fui contratado para uma empresa de 3dsmax e Corona, e eu usava apenas o Maya e vray na época, então isso varia muito.

 

8- CreativeSkull: Hoje você trabalha como look dev em uma empresa Francesa e pelo que vimos já tem trabalhos e contribuições por várias partes do mundo, qual a grande diferença que você sente em trabalhar no mercado Brasileiro e no Internacional?

R: Para ser bem honesto, eu não posso responder essa pergunta, minha experiência no Brasil é com publicidade em um processo mais completo. Eu via todo o processo, e ajudava em todas as partes que podia. Quando faço freelancer pra fora, eu pego uma tarefa muito específica, então  são trabalhos mais curtos e eu não me preocupo com as outras etapas da propaganda, ou do filme. Mas uma coisa que eu percebi, pelo menos nos projetos que eu trabalhei, é o prazo. Me parece que os trabalhos fora são um pouco mais organizados.

 

9- CreativeSkull: Mesmo trabalhando, você mantém constância em seus projetos pessoais e estudo, como você consegue manter sua rotina de trabalho, estudos e vida pessoal? Você tem uma capsula do tempo? kkk

R: Isso é dificil, gostaria muito de ter uma capsula do tempo. hahah  Não tenho feito tanto trabalho pessoal como gostaria, mas vou dividindo meu tempo como posso.

Tento produzir todo dia um pouco, pelo menos 2 horas por dia. Mas precisaria estudar muito mais do que isso. Não é nem de perto do ideal.

 

10- CreativeSkull: Algo que é muito comum entre os estudantes de CG é a nescessidade e o imediatismo de ficar “bom” artisticamente, há pessoas que sofrem de ansiedade e muitos até acabam desistindo da área por conta disso, o que você poderia falar para essas pessoas que estão buscando “o seu lugar ao sol”.

R: Primeiro ponto importante, é entender que não existe puramente dom, talento ou poderes especiais. Todos os profissionais de qualidade que estão no mercado hoje, se dedicaram muito pra estar onde estão. Foram muitas horas de estudos, muitas noites viradas, muitos “não” pra festas, muitos freelas mal pagos, muitos problemas pra resolver, muitos anos de dedicação. Então, não vai ser diferente com você. Quando olhar para alguém que você admira, veja isso como inspiração e não como algo negativo.

Junto com a dedicação, ser paciente e estratégico também é um passo para conquistar o seu lugar ao sol. Quando digo estratégico é olhar a arte não só como prazer ou entretenimento, mas como profissão também. Então veja o que as empresas pedem e mostre isso no seu portfolio. É importante também entender em que estágio você está, não adianta olhar para o trabalho do Pedro Conti, por exemplo, e achar que vai fazer igual logo de primeira, tem que olhar como uma inspiração e tentar fazer o que você consegue naquele momento.

Baby Chewbacca – Concept  Salvador Ramirez’s

modelagem 3d baby chewbacca

 

 

11- CreativeSkull: Quais são os seus planos para o futuro, onde você se vê futuramente? Pode nos contar?

R: Ainda tenho o desejo de entrar em uma produtora de filmes cartoon. Como Disney, Pixar, Dreamworks, Blue Sky, Illumination… Entre essas. Mas isso ainda é pra daqui a alguns anos, tenho que estudar bastante para alcançar esse plano.

 

12- CreativeSkull: Se pudesse dar alguma dica para quem está entrando nesse mundo, o que recomendaria? Existe muita gente que está começando a estudar e busca referências em artistas mais experientes como você.

R: Não se desespere.

Trabalhar com 3d é complicado porque temos o lado artístico e o técnico muito forte. Sempre tem um software novo, uma técnica nova, diferentes pipelines… Então seja paciente. Compartilhe conhecimento, ajude os seus amigos, estude bastante e se divirta fazendo o que gosta.

The Blue Monkey – Concept  Goro Fujita

modelagem 3d the blue monkey fur

Conheça mais sobre o trabalho de Thales Simonato, acessando o seu Artstation.

Quer receber  Tutoriais, Dicas e links de Lives? Cadastre seu email abaixo.

2 Comments

  • Alessandra Esteves

    11 de setembro de 2017 at 19:47

    Arrasou!!!!!!! Esse cara é muito Top!!!!!!!

  • Samara

    26 de maio de 2018 at 09:52

    Valeu pela entrevista muito esclarecedora muito sucesso pra você e o obrigada CreativeSkull por fornecer esse conteúdo.

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Entrar em contato